O cantor Jorge Ben Jor chega ao Espaço das Américas no sábado, dia 23 de junho, com a turnê “Salve Simpatia”. O mestre do carisma, do ritmo dançante e do balanço envolvente vem para uma única apresentação e promete um show repleto de sucessos. Para o show de abertura, outra grande atração foi escolhida para fazer as honras – o Clube do Balanço.

Para abrir essa grande noite de swing e ritimo, o Clube do Balanço chega com um set-list reunindo seus maiores sucessos de carreira. A banda, que originalmente foi criada apenas para animar uma festa, está hoje no seu quarto disco e coleciona memoráveis clássicos. “Vício Perfeito”, “Samba e Arroz”, “Saudades da Preta” são alguns dos hits que estarão no repertório.

A história da banda é realmente muito curiosa. Inicialmente, eles se uniram apenas para fazer um baile como os que aconteciam na periferia de São Paulo nos anos 1970, a diferença era que ao invés de ter um DJ tocando vinis com clássicos do samba rock, haveria uma banda tocando ao vivo estas músicas, respeitando o estilo e a sonoridade da época. A aceitação do público foi tão boa que a brincadeira não parou mais. Desde então a banda já lançou quatro discos e seu último trabalho é o “Menina da Janela”, que consagra o Clube do Balanço e sua trajetória de mais de 15 anos animando os salões de dança do Brasil e do mundo.

O grupo é formado por Marco Mattoli, (guitarra e voz), Edu Salmaso (bateria), Gringo Pirrongelli (baixo), Tiquinho (trombone), Fred Prince (percussão), Marcelo Maita (teclado), Reginaldo Gomes (trompete) e Tereza Gama (voz).

O rei do samba rock 

A assinatura de Jorge é marcada pelo inconfundível ritmo do seu violão, que por sinal, transcende toda e qualquer regra de classificação. Seu estilo foge de qualquer rótulo: é samba com maracatu, bossa com rock, baião com funk. Tudo começou com o clássico “Samba Esquema Novo”. Pois bem, era Samba, mas fazendo jus ao nome, tinha um esquema novo já trazendo futuros sucessos como “Mas que Nada” e “Por Causa de Você Menina”.

Veja Também:  Dani Silveira, do Flamengo, arrasa em foto de lingerie

Ben Jor acabara de revolucionar a música brasileira através de um estilo único, que colocava em comunhão as raízes brasileiras e africanas através de poemas tocantes, repletos de misticismo e energia. Seu talento fez com que ele participasse de dois dos programas musicais mais famosos da época: “O fino da bossa” – comandado por Elis Regina e Jair Rodrigues – e “Jovem Guarda” de Roberto e Erasmo.

Eis que surge a Tropicália.E junto com ela, as vozes estandartes para a profusão das ideias do carismático compositor e cantor. Caetano, Gilberto Gil e Gal Costa foram os principais intérpretes da obra de Jorge que estava numa ascensão cada vez maior.

Diversos movimentos musicais surgiram e ruíram, e Jorge continuou sendo cada vez mais renomado por suas obras, agora com um novo hino: País Tropical. E não parou por aí. Na sequência lançou “Take it Easy my Brother Charles” junto com a galera do Rappa, e uma forte e tocante homenagem ao seu santo protetor em “Jorge da Capadócia”.

Jorge Menezes, natural do Rio de Janeiro (Madureira), passou a infância ouvindo Luiz Gonzaga, Ataulfo Alves e João Gilberto, cantava no coro da igreja e gostava de participar de blocos de carnaval.

Assume que jamais lhe passou pela cabeça que seria ele próprio, um dos protagonistas da historia da música popular brasileira. Padroeiro de uma legião de músicos pedem sua benção para produzir um som que carrega em si muita simpatia, emoção, fortes raízes, um estilo único e muita, mas muita história. E agradece todos os dias aos seus fãs e colaboradores por fazerem de um sonho aparentemente tão distante, uma realidade tão bonita.

Compartilhe