As filmagens de “O Doutrinador”, produção para cinema e TV sobre o anti-herói brasileiro que caça políticos e empresários corruptos, foram concluídas na madrugada deste domingo, 1º de abril. Com produção da Paris Entretenimento, o filme e série, criados por Gabriel Wainer e Luciano Cunha, inspirados no personagem de HQ de Cunha, foram rodados em 71 diárias, quase todas à noite, ao longo de quatro meses em diversas locações de São Paulo, envolvendo uma equipe de mais de 150 pessoas. O filme estreia nos cinemas em setembro deste ano, com distribuição da Downtown Filmes/Paris Filmes. Já a série de TV será exibida no canal Space em 2019.

Interpretado pelo ator Kiko Pissolato, o personagem central é um agente federal altamente treinado que, devastado e motivado por uma tragédia pessoal, assume a persona do vigilante sombrio Doutrinador. Ele surge nos mais improváveis lugares  para aniquilar seus inimigos.  

A direção do longa e série é de Gustavo Bonafé (“Legalize Já” e “Chocante”), com codireção de Fabio Mendonça (“A Noite da Virada”). Os roteiros do filme e da série são distintos, mas se entrelaçam, e são assinados por Mirna Nogueira, LG Bayão, Guilherme Siman, Rodrigo Lages, Denis Nielsen, além dos criadores Gabriel Wainer e Luciano Cunha.

No elenco, além de Pissolato, estão Eduardo Moscovis, Marília Gabriela, Helena Ranaldi, Tainá Medina, Carlos Betão , Samuel de Assis e Tuca Andrada, entre outros.

Sinopse:

“O Doutrinador” é um anti-herói no melhor estilo dos vigilantes dos quadrinhos. O Doutrinador é Miguel, um agente federal altamente treinado que vive num Brasil cujo governo foi sequestrado por uma quadrilha de políticos e empresários. Uma tragédia pessoal o leva a eleger a corrupção endêmica brasileira como sua maior inimiga. E ele começa a se vingar da elite política brasileira em pleno período de eleições presidenciais, numa cruzada sem volta contra a corrupção.

Veja Também:  Rosas de Ouro promove festa do Dia das Crianças
Compartilhe