Em homenagem ao Dia Mundial de Luta Contra a AIDS, a musa fitness Gabi Bayerlein posou com apenas um laço vermelho cobrindo o seu corpo. O adereço é o símbolo de solidariedade e comprometimento, criado por um grupo de profissionais de arte que queriam homenagear amigos que estavam morrendo ou já haviam morrido em decorrência da AIDS. O símbolo foi utilizado como marca do movimento pela primeira vez em 1991, em Nova Iorque.

“A decisão de tirar a roupa e posar apenas com o laço vermelho foi por uma necessidade de conscientização. No Brasil, os casos de contaminação estão caminhando contra o resto do mundo. Os números crescem, quando na verdade, o contrário acontece lá fora. Sexo é muito mais que um momento de prazer e amor, e isso pode nos deixar ‘marcados’ para sempre. Acredito que a responsabilidade sexual é o maior ato de amor”, revelou a modelo fitness.

Comemorado em 1º de dezembro, o Dia Mundial de Luta Contra a AIDS é um dia marcado por lembranças dos que já se foram, entre eles, artistas tão importantes como os cantores Freddie Mercury, Renato Russo e Cazuza, as atrizes Sandra Bréa e Claudia Magno, e o ator Lauro Corona. Gabi destaca como uma marca do movimento no Brasil o cantor Cazuza, que tornou pública a sua doença e após morrer em decorrência do vírus, deu nome ao instituo “Sociedade Viva Cazuza” mantido por sua mãe, Lucinha Araújo.

Veja Também:  Suzy Cortez celebra de forma sexy o "Dia do orgulho Nerd"

“Quantos artistas importantes da música e da televisão nós perdemos! Quanta gente boa e com uma história ainda para ser mostrada! Ainda hoje o preconceito continua falando alto, as pessoas parecem não querer saber sobre como é conviver com a AIDS, com uma pessoa portadora do vírus. O sexo foi tão banalizado que, ninguém mais quer saber de camisinha, e aí é que mora o perigo… minutos de prazer para uma vida com ‘prazo marcado’. Sexo é muito bom, claro que é bom, mas a camisinha garante o prazer seguro”, alertou Gabi Bayerlein.