Barbeiro Reginaldo faz sucesso na Vila Mariana, em São Paulo e explica como  transformou a profissão em sonho de vida.

Assim como os salões de beleza para o público feminino, as barbearias estão com tudo para atender o público masculino. Mas como será que surgiu a profissão de barbeiro?

A história dos barbeiros começou lá no Egito, de onde temos os registros mais antigos da profissão, muito tempo antes de Cristo, onde membros das classes religiosas e realezas costumavam raspar os cabelos e a barba. Nessa época, os barbeiros eram muito respeitados e influentes e, ainda são até os dias atuais pois, o homem moderno não deixou de cuidar da sua aparência, muito pelo contrário, os homens nunca cuidaram tanto da aparência como hoje.

Segundo dados levantados pela Euromonitor International, empresa de pesquisa que monitora o setor de beleza em 80 países, o mercado brasileiro de cuidados pessoais para homens explodiu. Nos últimos cinco anos, o setor de beleza masculina dobrou e deve continuar crescendo 7,1% ao ano até 2019, quando deve se tornar o maior mercado do mundo na categoria, movimentando US$ 6,7 bilhões em vendas.

Os homens realmente estão se cuidando mais e gostam de manter o cabelo e a barba em dia.

Assim como os salões de beleza femininos, as barbearias pipocam por toda parte. É só passar nas ruas e notar quantas novas barbearias aparecem todos os dias.

Segundo a ABF – Associação Brasileira de Franchising, o segmento de saúde, beleza e bem-estar teve crescimento médio de 10% na última década, chegando a atingir um faturamento de R$100 bilhões, sendo que 30% do faturamento vem do público masculino.

Conversamos com o barbeiro Reginaldo de Araújo, baiano, natural da cidade de Monte Santo, que atua há quase 30 anos na profissão, no simpático e elegante bairro de São Paulo, Vila Mariana, na Barber SP, dentro do salão Lua Nua Beauty e SPA.

O barbeiro trabalha na Vila Mariana desde 1995, é muito conhecido, respeitado e conceituado pelos moradores do bairro.


” Sou apaixonado pelo meu trabalho e fico feliz demais em ver que atendo várias gerações de clientes. Tenho cliente que cortou cabelo comigo aos 10 anos de idade e hoje vem trazer os filhos. E outros que trouxeram os filhos e hoje vem com os netos. Cuido dos cabelos e das barbas da terceira geração de várias famílias. Isso não tem preço!” diz Reginaldo.


Quase 30 anos no pedaço 

Reginaldo contou sua história de sucesso na profissão, e no bairro pelo qual se declara apaixonado:

¨Não consigo viver em outro bairro como Vila Mariana. Eu amo o que eu faço que é atender meus clientes com carinho e todos os cuidados. Conheço cliente por cliente, acabei ficando amigo de vários deles. Sei onde moram, trocamos muito ideias. Trabalhar como barbeiro é minha realização de vida; através dela, comprei minha casa, decorei como queria, comprei carro, vivo bem e tenho esse patrimônio para que meu filho nunca passe necessidade. Ele tem um lar que é dele quando eu não estiver mais aqui.


História

Mas nem sempre foi assim, Reginaldo conta que caiu na profissão por acaso, quando  por necessidade foi fazer um curso de barbeiro. Ele que veio do Nordeste para tentar uma vida melhor em São Paulo, trabalhava numa metalúrgica mas o salário mal dava para sobreviver. Além do mais, o trabalho não era sua paixão, era uma maneira de poder pagar um aluguel e se alimentar.

Resolveu fazer um curso à noite que duraria 1 ano. Logo na primeira semana, a professora pediu para  participar de um concurso que a escola ia promover. Ele fez a prova, passou e a professora pediu para ele ficar como professor na escola dela.

A profissão, com certeza, estava no destino desse baiano de 51 anos. Com apenas  8 dias com o diploma na mão, conheceu um rapaz chamado Pedro Gabriel e fizeram amizade. Resultado: o amigo o convidou para trabalhar como barbeiro no famoso salão do Chiquinho, e trabalharam juntos por quase 20 anos.

Veja Também:  Sob o olhar do namorado, o cantor Zé Felipe, Virginia Fonseca realiza tratamento estético

 “Vocês não imaginam meu medo: eu cortando cabelo pela primeira vez num salão conhecido, num bairro chique. Mas eu encarei… Atendi um e ele gostou. Atendi outro e ele gostou…Nisso fiquei quase 20 anos lá. E esse salão foi uma escola pra mim. O dono do salão , o Chiquinho  faleceu a uns 3 anos, mais ou menos, com 100 anos de idade e era muito conhecido e querido. Foi uma grande perda para o bairro.” conta Reginaldo.


 Como foi seu início?

No primeiro mês que eu entrei no salão passei a ganhar 10 vezes mais do que ganhava na metalúrgica. Eu morava num quartinho com esposa e meu filho e passava vários apertos, que só por Deus. Com 1 ano que eu trabalhava como barbeiro, comprei um terreno e fiquei durante 5 anos construindo uma super casa do jeito que eu queria, e meu filho mora lá até hoje.

E foi fácil?

Quando eu entrei na barbearia foi por necessidade mesmo. Eu não tinha absolutamente nada. Não tinha dinheiro, nada. Trabalhava pra pagar aluguel e comida, e olhe lá. Tive várias conquistas com a minha profissão e agradeço todo dia por isso.

Meu filho vai fazer 23 anos e eu colocava na bancada de onde eu trabalhava, e hoje ele trabalha do meu lado na barbearia.

Quando eu comecei, fazia fila. Eu cortava 20, 30 cabelos por dia. Não existiam muitas barbearias, o que tinha era propaganda boca a boca.

Você chegou a estudar?

Eu não tenho estudo, faculdade, mas o que eu aprendi na minha profissão eu agradeço a Deus.

Minha vida é ali todos os dias da minha vida. No começo fiquei 11 anos sem tirar 1 dia de férias. Eu vivo disso e estou muito feliz em poder exercer minha função sempre com amor e alegria.

Como barbeiro somos como psicólogos: eles sabem da minha vida e eu sei da vida deles. A gente acaba  virando amigo. Hoje estou em uma barbearia legal, bem estilosa e que é a minha cara. E todos gostam do meu trabalho.

Você se declara apaixonado pelo bairro Vila Mariana. O que esse bairro tem de tão especial?

 Vila Mariana é um bairro legal, tranquilo, bairro de gente boa. Não pretendo sair aqui do Bairro e, se Deus quiser, isso não vai acontecer nunca. Infelizmente eu não moro no bairro, porque não tinha dinheiro, construí minha casa em outro lugar, mas minha vida é esse bairro que amo, acordo e já corro pra Vila Mariana e só saio de noite. Tenho vários clientes que moram nos EUA e vem cortar o cabelo comigo. Gente que mudou de bairro e vem cortar o cabelo comigo. Já atendi muitas celebridades e gente famosa. Atendo médico, advogado, artista, jornalista, padeiro, porteiro, pessoas com poder aquisitivo alto e outras de poder baixo, e não faço distinção.

Onde você atende atualmente? 

Eu estava num salão da Vila Mariana e recebi o convite da Vanessa Orechio, para fazer parte do salão dela  , o Lua Nua, que é muito legal e bonito, mas sempre ficava resistente. Mas ela, como pessoa maravilhosa que é, não desistiu e montou dentro do salão dela, um espaço de Barbearia pra mim. Quando vi, quase caí pra trás e não teve como eu deixar de aceitar o convite e ganhei a Barber SP.

Hoje além de estar num lugar que eu amo, tenho ainda o apoio e a amizade dessa pessoa incrível e somos uma grande equipe.

A Barber SP está localizada na: Rua Pelotas, 608- Vila Mariana Dentro do Lua Nua Beauty Spa

Tel:11-5908-0376 e 11 5072-9983

https://www.instagram.com/p/CChdY-wnXUT/

https://www.instagram.com/barber.sp/

https://www.instagram.com/lua_nua/

 

Compartilhe

Warning: A non-numeric value encountered in /home/portalmaismidia/www/wp-content/themes/Newspaper_old/includes/wp_booster/td_block.php on line 1009