A EscolaFM foi criada pelo radialista Jorge Moreno e conta com o apoio de outros pais, educadores e profissionais voluntários para ajudar crianças e adolescentes a descobrir e viver sua missão e propósito

Já ouviu falar da Escolafm? 

Tudo começou em 2004, no CIEP 115 Brizolão Antônio Francisco Lisboa, no Rio de Janeiro, a partir das oficinas de rádio e instalação de um sistema de som no pátio da escola. Os próprios alunos do projeto batizaram a rádio escolar de Rádio Escola Fala Sério.

A proposta gerou atividades extracurriculares dentro e fora da escola. Os alunos participaram do “Educando o Cidadão Para o Futuro”, do Jornal O Globo, coletivas de imprensa com artistas da Sony Music; produção de programas na Rádio Viva Rio AM; cobertura do evento Coca-Cola Vibezone 2005 com a Rádio Cidade; concederam entrevista para TV Alerj; entre outras mídias.

Três anos depois, Moreno levou o projeto para Escola Municipal Padre Guilherme Peters, em Belo Horizonte, a convite da Rádio 98.

Em 2012, com a conclusão do projeto no CIEP 115, foi criada uma rádio on-line para utilizar o conteúdo produzido pelos alunos, a Rádio Sarau, que em 2013 ganhou o prêmio A.P.C.A (Associação Paulista dos Críticos de Arte) como melhor rádio da internet. Mais tarde, a Rádio Sarau passou a focar mais em música e poesia e a ser produzida a partir de Conservatória-RJ.

Betinho Ivo e Caíque Ivo

Em 2019, o projeto reiniciou como Escolafm e foi criada uma nova rádio com uma nova proposta: uma rádio on-line produzida e apresentada só por crianças e adolescentes em parceria com os pais.

As atividades, desta vez, incluíram gravações via WhatsApp, participações de programas e entrevistas nas rádios Transamérica e Roquette Pinto, visita guiada e trabalho de campo na Rádio MEC e Nacional, matéria para TV Brasil, reportagem no evento Big Beat, além de um Talk Show ao vivo no estande da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa e lançamento do livro Escolafm, na Bienal.

Com a chegada da pandemia, em fevereiro de 2020, as atividades seguiram apenas on-line.

Veja Também:  Musa trans exibe corpão em ensaio: “No Brasil só querem me ver nua”

De acordo com Moreno, coordenador da Escolafm, por intermédio das atividades, que são realizadas em casa, utilizando aplicativos de comunicação, os jovens conseguem entender melhor seu propósito de vida, se conectam à família e passam a ver o ambiente escolar de forma mais divertida. “Aprendendo técnicas de comunicação e interpretação, através do rádio, eles se tornam protagonistas da própria história”.

O ator e modelo mirim, Gui Rodrigues, é colunista de diversão e parcerias da rádio. Sua apresentação é toda sexta-feira às 8 horas da manhã, com reprises ao longo do dia.

Alguns dos projetos para 2021 são: formar correspondentes, professores e alunos, em escolas públicas e privadas; distribuição dos programas e podcasts da Escolafm para outras emissoras e escolas interessadas. Por se tratar de uma rádio educativa, e portanto, sem fins lucrativos, a Escolafm não veicula comerciais e não tem funcionários, todos são voluntários. Os custos operacionais e a ajuda de custo para as crianças são mantidos pelos idealizadores do projeto, parceiros, colaboradores e apoiadores, que se identificam com a proposta.

Quem quiser se tornar um colaborador, ou parceiro da Escolafm, basta acessar o link (www.benfeitoria/escolafm).

Moreno Fala Sério

Sobre Jorge Luiz Moreno

Jorge Luiz Moreno (@morenofalaserio) é radialista e estudante de MKT digital, locutor desde 1988, trabalha em FM’s desde 1997. Atua como agente de educação e comunicação, desde 2004, em escolas públicas e privadas. Foi professor do curso de locução e apresentação do Senac Rio, em 2010, e atualmente, leciona locução e produção de áudio, no projeto Rádio Atividade da ER + (Escola de Rádio, Web e TV). “Desde 2004, trabalho voluntariamente para que o rádio esteja presente no cotidiano das escolas, seus alunos e famílias”, declara Jorge Moreno.

Conheça o projeto: http://escolafm.com

Instagram: @escolafm

Compartilhe

Warning: A non-numeric value encountered in /home/portalmaismidia/www/wp-content/themes/Newspaper_old/includes/wp_booster/td_block.php on line 1009