A atriz global Marina Ruy Barbosa estrelou uma campanha para lançar papel higiênico preto e está dando o que falar. Antenada, a modelo Kell Rosan, única candidata negra no concurso Musa do Brasil 2017, decidiu criticar a famosa e a tal marca que lançou o novo produto nos bastidores de um ensaio fotográfico. Afinal, além de mulherão, a beldade é engajada nos assuntos que dizem respeito ao racismo.

“Se a mensagem não é racista, o que faz uma ruiva ser a porta voz da mensagem? Não vejo necessidade para uma campanha dessas, uma campanha racista sim! É fácil falar que tudo é ‘frescura’, que o preconceito só existe na cabeça do negro, que a vida é uma festa e o racismo já não existe mais. Mas quando se é ‘preto’, esses discursos chegam de uma outra forma e nós sofremos o impacto de todo esse movimento do ‘racismo velado’. Pra mim a campanha deve ser retirada do ar”, opinou.

A modelo que representa Rondônia no Musa do Brasil ainda contou que ao contrário do que imaginou no primeiro momento, não sofreu preconceito por ser a única candidata negra nem mesmo nas redes sociais. Ao contrário, a beldade de 37 anos manifestou toda a sua admiração e carinho pelas colegas do concurso e pela organização.

Veja Também:  Kamilla Salgado mostra decote e deixa barriga de fora

“Tem japonesa, alta, baixa, magra, sarada… cada uma com a sua particularidade. O preconceito está longe de acabar e, sinceramente, acho que sempre seremos vistos e lembrados como os ‘sobreviventes da senzala’, o que também não é um problema, tenho muito orgulho da história do meu povo. Mas não tenho sofrido com a exposição do concurso, só recebo carinho e elogios. E isso me deixa ainda mais confiante no título”, garantiu.