Foto: divulgação

Por: Leonardo Quicoli, médico cardiologista 

 

As noites mal dormidas não trazem como consequência o cansaço, sonolência, mau humor, irritabilidade e falta de concentração nos dias seguintes. A longo prazo, os distúrbios do sono podem prejudicar o coração e provocar o surgimento ou a piora de doenças como a Hipertensão Arterial (pressão alta), Arritmia Cardíaca, Obesidade, entre outras.

Os principais distúrbios do sono podem estar relacionados às noites mal dormidas e aos problemas cardíacos: a Apneia Obstrutiva do Sono e a Insônia.

A Apneia do Sono é um distúrbio caracterizado por ruídos (roncos) e interrupções breves repetidas na respiração durante o sono. Essas pequenas pausas na respiração diminuem a entrada de ar nos pulmões e fazem com que a concentração de oxigênio no sangue diminua, causando um aumento nos batimentos cardíacos e provocando hipertensão (pressão alta) e arritmia cardíaca.

A insônia é um distúrbio do sono que afeta a capacidade das pessoas dormirem ou permanecerem dormindo. Uma noite mal dormida já é suficiente para aumentar a pressão arterial da pessoa. Dormir pouco aumenta o risco de desenvolver Hipertensão, um dos principais fatores de risco para o infarto, pois além de causar estresse contínuo, os vasos sanguíneos nunca conseguem relaxar por tempo suficiente, fazendo com que eles fiquem cada vez mais rígidos e a pressão dentro deles aumente.

Veja Também:  Ex-cantor de Mastruz com Leite, Magníficos, Caviar com Rapadura e forró moral, Aduílio Mendes a lenda bate Record no segmento e coloca quase 400 mil pessoas em live

É durante as fases profundas do sono que os hormônios que controlam a circulação são produzidos. A falta de sono faz com que o nível dessas substâncias caia e o fluxo de sangue seja afetado. Quando isso acontece, o corpo entende que o cérebro e o coração não devem descansar, mantendo a pressão arterial e a frequência cardíaca elevadas.

Com isso, a pressão permanece alta por muito tempo, a pessoa corre o risco de sofrer grandes danos nas veias e artérias, podendo resultar em um infarto, acidente vascular cerebral (AVC), além de insuficiência cardíaca ou renal.

A insônia pode ter várias origens orgânicas, como estresse, ansiedade, depressão, ou pode ser um distúrbio secundário causado pelo uso de algumas medicações. Por isso, o tratamento irá depender da causa do problema.

Dentre as opções de tratamentos para insônia, a Terapia de Higiene do Sono, que consiste em adotar hábitos que facilitam para dormir, e o tratamento medicamentoso prescrito pelo seu médico.  

Compartilhe

Warning: A non-numeric value encountered in /home/portalmaismidia/www/wp-content/themes/Newspaper_old/includes/wp_booster/td_block.php on line 1009