Foto: Samuel Melim / Divulgação

A modelo Jéssica Arboleya que surgiu na revista Sexy, em seu primeiro ensaio nu, é uma mulher pra lá de exuberante e cheia de curvas. Mas, até 2016, quando fez sua primeira cirurgia plástica, ela era bem diferente. Nesse tempo, ela já se submeteu a sete intervenções médicas: próteses de silicone nos seios (duas vezes), rinoplastia, lipo, aplicação de PMMA no bumbum (duas) e até uma vaginoplastia.

Incomodada com seu corpo ‘seco’, Jéssica procurou o médico pela primeira vez por ser vítima de bullying. E, sem pudores para falar sobre o assunto, não esconde como era antes. “Não tenho nem fotos daquela época. Apaguei e rasguei todas. Eu era tão reta que tive que fazer o silicone aos poucos porque não tinha pele suficiente para as próteses e eu não queria ficar cheia de estrias. Quem me conheceu naquela época nem me reconhece hoje”, conta.

Para começar, a modelo revela que já investiu mais de R$ 150 mil no shape. “Não me arrependo de nada, foi o valor que paguei para fazer as pazes com o espelho. Fiquei irreconhecível”, diz. E garante que as mudanças que as cirurgias proporcionaram não foram apenas estéticas. “Minha autoestima mudou completamente. Hoje me sinto segura e bonita. Consigo me vestir melhor, caprichar no decotão e me sentir mais poderosa. Eu não me via como uma mulher atraente e hoje tudo mudou”.

Veja Também:  Lidia Farkas dá dicas de moda para o Dia dos Namorados

Até a vida sexual de Jéssica melhorou depois das plásticas. “Eu ficava muito insegura na ‘hora h’. Antes eu pedia para apagar a luz, agora nem precisa”, conta aos risos. “Estou feliz assim, mas se um dia alguma coisa cair vou correndo para o médico. Não tenho medo ou receio de fazer novas plásticas. Sou vaidosa e assumo isso”.

Compartilhe