Mc Romy resolveu dar um basta aos abusos sofrido por diversas mulheres e fez uma composição em solidariedade , incentivando as mulheres não se calarem. Reagirem.
De acordo com a Lei Maria da Penha, violência contra mulher é qualquer ação ou omissão baseada no gênero [mulher] que lhe cause morte, lesão, sofrimento físico, sexual ou psicológico e dano moral ou patrimonial.
Todas as mulheres brasileiras têm o direito de acessar uma rede de serviços públicos de atendimento e enfrentamento à violência contra as mulheres que são compostas pelas instituições da Segurança Pública, Justiça, Saúde, Assistência Social, Educação, dentre outras.

A Central de Atendimento à Mulher – Ligue 180 presta uma escuta e acolhida qualificada às mulheres em situação de violência. O serviço registra e encaminha denúncias de violência contra a mulher aos órgão competentes, bem como reclamações, sugestões ou elogios sobre o funcionamento dos serviços de atendimento.

O serviço também fornece informações sobre os direitos da mulher, como os locais de atendimento mais próximos e apropriados para cada caso: Casa da Mulher Brasileira, Centros de Referências, Delegacias de Atendimento à Mulher (Deam), Defensorias Públicas, Núcleos Integrados de Atendimento às Mulheres, entre outros.

A ligação é gratuita e o serviço funciona 24 horas por dia, todos os dias da semana. São atendidas todas as pessoas que ligam relatando eventos de violência contra a mulher.

“A música “tropa das mulheres disk 180″ foi feita para as mulheres que passaram por alguma situação de abuso físico ou emocional e eu tive a ideia de fazer essa música pois fiquei muito sensibilizado com a história e coragem dessas mulheres que apareceram na mídia nessas últimas semanas. Acredito que o funk como um ritmo popular tem também o papel de abordar temas reflexivos na nossa sociedade.  O papel do homem do presente e do futuro é se desconstruir .  Sou totalmente contra comportamentos abusivos ” relata Mc Romy
Letra da música
Tropa das mulheres disk 180 ( Mc Romy).
A tropa das mulheres chegaram
E não adianta se esconder
Você machista e misógino
Eu boto tu é pra correr
A mulherada
A mulherada
A mulherada 2x
Merece ser respeitada
A mulher faz o que quer
Ela desce até o chão
Ela é livre
Ela é top
E faz sua revolução
Quantas Dudas
Marias , petalas
Vão precisar passar por abusos físicos e psicológicos para que a nossa sociedade acorde
Disk 180.

Entenda os tipos de violência contra mulher

Veja Também:  Festa para adolescentes em SPA é realidade em São Paulo

Violência psicológica:  considerada qualquer conduta que: cause dano emocional e diminuição da autoestima; prejudique e perturbe o pleno desenvolvimento da mulher; ou vise degradar ou controlar suas ações, comportamentos, crenças e decisões.

Violência física: Entendida como qualquer conduta que ofenda a integridade ou saúde corporal da mulher.

Violência sexual: Trata-se de qualquer conduta que constranja a presenciar, a manter ou a participar de relação sexual não desejada mediante intimidação, ameaça, coação ou uso da força.

Violência Patrimonial: Entendida como qualquer conduta que configure retenção, subtração, destruição parcial ou total de seus objetos, instrumentos de trabalho, documentos pessoais, bens, valores e direitos ou recursos econômicos, incluindo os destinados a satisfazer suas necessidades.

Violência Moral: É considerada qualquer conduta que configure calúnia, difamação ou injúria

Compartilhe

Warning: A non-numeric value encountered in /home/portalmaismidia/www/wp-content/themes/Newspaper_old/includes/wp_booster/td_block.php on line 1009