Phael Azevedo: o bom engajamento e a fama nas redes sociais

163
Foto: divulgação

No mundo online, não basta monitorar perfis em redes sociais. Cada vez mais, os usuários buscam o engajamento com o conteúdo que publicam diariamente, seja por meio do Youtube, do Tik Tok, do Instagram ou do Facebook. A conexão no Brasil só cresce. Dados da Hootsuite e We Are Social (2021) apontam que o país é o terceiro mais conectado, com 03 horas e 42 min diários. Perde para Filipinas (2º) e Colômbia (1º).

Na era digital, ganhar fama é fácil, mas a mesma tende a ser vista de forma positiva e não negativa para a imagem do cidadão. Por isso, para alcançar bons resultados no feed e nos canais de transmissão, vale estudar muito e, principalmente, entender a temática escolhida.

Em sua conta no Tik Tok, Phael Azevedo (@phaelazevedo) está atento aos seguidores. Sempre agradável, procura postar temas com os quais estes se identificam, além é claro de esclarecer dúvidas. Phael diz que os administradores das redes atuam como porta-vozes da sociedade. “As pessoas se sentem representadas, de certa forma. A gente, à frente das redes, sabe o quanto elas esperam ansiosas por um vídeo, um post. Devido a isso, precisamos nos empenhar cada vez mais”.

Veja Também:  Conheçam Juju Duarte, Mini Influencer Digital faz sucesso com apenas 4 anos de idade!

A demora em conquistar o público –

Phael explica que a conquista acontece gradativamente, pois no começo, a população analisa uma série de fatos: a maneira que você expõe o tema, as informações relacionadas e o tempo em informar. “A paciência é essencial neste processo e, acima de tudo, é fundamental não desistir de atingir o seu objetivo. Se quiser ter fama, batalhe bastante e saiba esperar. O início é estranho! No entanto, fui vitorioso e conto com 446.8K fãs”.

Para finalizar, Phael relembra o feedback que recebe, com frequência. “É muito bom! Fico imensamente feliz por gostarem do meu perfil e por eu ajudar as pessoas de alguma forma. Sou muito grato pelos comentários e pelo carinho dos seguidores. São preciosos!”.